A lágrima

Eu pensei que seria forte, só pensei, hoje uma lágrima escorre em meu rosto, uma lágrima que não é de tristeza, nem de alegria, é de saudade. Assim como eu, meu coração também chora de saudades. Parece que quando tudo está perto do “fim” as pessoas começam a perceber, nosso sorriso deixa de ser aquele sorriso de antes, nossa voz não sai com tanta facilidade, nossa garganta forma um nó.
Essa lágrima que escorre sobre o meu rosto é ácida, queima, deixa marcas que só com o tempo irão sair do meu rosto. A voz que sai não é a minha, é a voz de alguém que tem uma saudade enorme, mas é uma saudade “dele” que ainda está do meu lado, e eu sei que ele vai embora, pelo pouco tempo que eu o conheço sei que ele está realmente pensando em ir.
Quero que quando ele for ele se lembre de como é importante, de tudo que a gente passou, dos nossos beijos, nas nossas madrugadas no telefone, dos nossos abraços escondidos, das nossas risadas, das nossas conversas, sei que assim como eu, ele não esquecerá nada.
Entre lágrimas, soluços, gritos por dentro vou pedir a ele que ele devolva o meu coração, deixei com ele há um tempo atrás e esqueci de pedir para que ele me devolvesse como pegou. Sei que quando ele devolve-lo nao será o mesmo, estará quebrado, mas já me acostumei, consertarei ele em 1 ano, e acho que tudo voltará ao normal.
Chegou a hora de dizer adeus para o “meu amor”, sei que ele pode não voltar mais para os meus braços, sei que ele não vai mais me chamar de “minha linda”, mas acho que é o melhor a fazer.
E se na hora do adeus as lágrimas diminuirem, ele me abraçar, e disser que não vai embora eu vou ter a certeza de que o nosso amor é grande o bastante para recomeçar !

Anúncios

Quando eu era criança…

Quando eu era criança eu acreditava que todo mundo tinha um principe encantado e que o final feliz ia chegar, mas ai eu cresci e comecei a entender, que principes encantados são só coisas de histórias, finais felizes não existem, e eu entendi que contos de fadas são só aqueles livrinhos que a gente lê quando é pequeno.
Eu descobri que o mundo pode ser um mar de rosas, mas você tem que sempre tomar cuidado ao mergulhar nele, porque rosas tem espinhos, espinhos furam,  e furar causa dor. Eu descobri também que por mais importante que uma pessoa seja pra você você vai sim magoá-la e ela tem todo o direito de ficar chatiada,  eu cresci ouvindo, olha filha, não pegue doce de estranhos, não abra a porta pra ninguém quando eu não estiver aqui, não esqueça de escovar os dentes antes de dormir, não coma de boca aberta, mas acho que esqueceram de me avisar o mais importante, esqueceram de me dizer “Olha filha, não se apaixone por alguém, que não é capaz de te amar, isso vai fazer você sofrer, vai te causar uma dor terrivel.” Se tivessem me falado isso, eu teria chorado menos, me importado  menos, mas eu aprendi sozinha. E quer saber? Algumas coisas a gente tem que aprender sozinha, tipo andar de bicicleta sabe? Você cai algumas vezes mas
você consegue levantar e tentar de novo, e mais pra frente você anda até sem as mãos, na vida é assim também, você dá com a cara na parede, mas depois você descobre que existe um jeito de dar a volta e não trombar com a parede de novo.  Quando eu era criança e me machucava, eu chorava muito, porque doia muito, hoje eu faria de tudo pra ter um joelho ralado, eles doem bem menos do que corações partidos e amores não correspondidos. Quando eu era criança minhas lágrimas só caiam por birra, por eu querer muito uma coisa e não ganhar ela, hoje minhas lágrimas são porque eu quero muito uma coisa e não posso tê-la. Viu só ? Algumas coisas não mudaram, mas eu mudei, eu deixei de ser aquela de antes, eu  cresci, agora finais felizes não estão na minha lista de desejos, filmes românticos são só uma desculpa que eu uso pra chorar quando eu preciso chorar e dor é aquilo que eu sinto quando a saudade bate, o coração aperta e então tudo transborda e escorre pelos olhos.
Quando eu era criança, eu acreditava que todo mundo tinha um príncipe, hoje eu me contendo com o sapo.